21 de outubro – Dia da Iluminação

Iluminação Cênica e uma data especial para comemorarmos

Ser iluminado, hoje um post especial na iluminação cênica!!

 

“Se fizéssemos todas aquelas coisas de que somos capazes, nos surpreenderíamos a nós mesmos.”  –  Thomas Edison

 

 

Em 21 de outubro de 1879, o americano Thomas Edison, “após testar em torno de 3.000 diversos materiais para criar filamento contínuo e duradouro”,  mostrou ao mundo a lâmpada elétrica incandescente, um novo produto que após energizado, conduzia energia para um filamento de carbono – feito por um fio de algodão carbonizado – fechado num bulbo de vidro (isolando o oxigênio), que tinha a capacidade de gerar uma luz visível. Tal fato gerou grande evolução tecnológica, disputas como a “Guerra das Correntes” e o crescimento da Revolução Industrial

 

 Na época de sua criação, foi elaborada para servir de luz residencial e com isso gerar investimento, ou seja, ser comercializada (foi a maior preocupação em que Edison passou horas estudando sobre a lâmpada), todos utilizavam velas ou a lâmpada a gás em sua residências, e claro que não foi tão bem aceito, em resposta a isso Edison disse que “No futuro, somente os ricos queimarão velas”; ele pensava além de seu tempo, citava frases como a seguinte

 

“Um dia, o homem aproveitará a subida e descida das marés, aprisionará a energia solar e liberará a bomba atômica.”  –  Thomas Edison

 

Thomas Alva Edison está entre os grandes gênios da sociedade moderna, e dentre suas muitas genialidades, a lâmpada incandescente merece um prestígio enorme. 

Hoje em dia, vemos seu uso cada vez menor, parte delas estão proibidas de serem fabricadas há dois anos, permanecendo apenas as lâmpadas a tungstênio em watagens pequenas para nossas rsidências (modelos PAR e AR) e na indústria do entretenimento seu uso ainda é muito frequente, em situações em que o LED ainda não é viável para a iluminação.

 
Você sabe o surgimento da palavra LÂMPADA?
O trecho abaixo é extraído do primeiro e-Book no Brasil sobre iluminação cênica “Glossário para Iluminação Cênica, de Alessandro Azuos”:
 
LÂMPADA: é o instrumento que gera a luz para controle da iluminação, compostos de quatro componentes básicos:
 – bulbo
 – gás inerte
 – produtor de luz
 – uma base para apoio
É o material fundamental no trabalho dos profissionais em iluminação.
Para sua curiosidade essa palavra vem do grego LAMPAS: “tocha, raios de luz, meteoro luminoso”; de LAMPEIN: “brilhar”.

 

Outras invenções de Thomas Edson

A lista abaixo foi retirada do site TECMUNDO, e poderá ver  o original com as fotos no link: 

 https://www.tecmundo.com.br/invencao/46323-10-invencoes-de-thomas-edison-que-ainda-utilizamos-hoje.htm

 

1 – Estrada de ferro eletromagnética

Apesar de relativamente pouco utilizadas no Brasil, as estradas de ferros eletromagnéticas surgem como alternativa eficaz e limpa para a mobilidade urbana e também para o trânsito entre cidades, estados e países em várias partes do mundo. Em 13 de maio de 1880, Thomas Edison fazia o primeiro teste de sua estrada de ferro elétrica em Menlo Park, nos Estados Unidos.

Há mais de 130 anos, então, quando temas como sustentabilidade e alternativas ao uso de combustíveis fósseis não estavam tão em vogas, o cientista já iniciava uma ideia que floraria anos depois em várias partes do mundo. As maiores cidades do planeta utilizam trens e metrôs elétricos para levar passageiros e carga de um lado a outro.

2 – Câmera cinematográfica

As filmadoras modernas registram e reproduzem imagens com áudio e vídeo em alta definição e apresentam dezenas de funções diferentes para garantir a qualidade do material produzido. Mas voltando na árvore genealógica das câmeras mais modernas da atualidade está a câmera cinematográfica de Edison.

Ele inventou ainda uma tela para exibir as imagens que capturava em sequência e, quando reproduzidas de forma rápida, davam a impressão de movimento — se pensarmos que os filmes digitais estão aí há muito tempo, dá para dizer que a ideia básica de Edison perdurou durante um longo período na indústria cinematográfica.

3 – Bateria de carro elétrico

Thomas Edison poderia tranquilamente ser chamado de “homem-eletricidade”, pois a base de suas invenções era a energia elétrica. Outra prova disso foi a concepção de baterias de níquel-ferro que ele desenvolvia no início do século 20 e que serviam para prover energia a alguns veículos da época.

Em 1901, ele apresentou a bateria de níquel-ferro e ela era mais eficiente do que as de ácido de chumbo usadas até então. Suas vantagens eram tanto ecológicas quanto de desempenho, pois causavam menos impacto ambiental e levavam menos tempo para serem recarregadas.

4 – Fonógrafo

Se você pode escutar músicas saindo dos alto-falantes dos mais modernos sistemas de som, saiba que o bisavô de tudo isso é o fonógrafo. Este aparelho, que lembra muito uma vitrola antiga, foi criado em 1877 para gravar e reproduzir sons por meio de um cilindro, o primeiro do gênero registrado pela humanidade.

Edison ainda foi visionário quando projetou reduzir o tamanho de seus fonógrafos a ponto de eles caberem dentro de bonecas e outros brinquedos, dando mais vida a eles. Ou seja, pense na imensidão de coisas que contam com pequenos alto-falantes e que fazem parte da nossa vida todos os dias e a dimensão do pensamento de Edison se amplia ainda mais.

5 – Microfone de carbono

Há uma dúvida entre quem realmente inventou o telefone, se Graham Bell ou Antonio Meucci, mas uma coisa é certa: foi o microfone de carbono inventado entre 1877 e 1878 por Thomas Edison que deu mais eficiência ao projeto. O dispositivo contava com um sistema capaz de converter som em um sinal elétrico, permitindo que a voz fosse transmitida a longas distâncias.

Edison disputou a autoria de sua patente com outro inventor, o germano-americano Emile Berliner, mas a corte federal dos Estados Unidos garantiu a ele a autoria do projeto. Então, até mesmo o captador de áudio do smartphone moderno que você usa hoje tem como ancestral o microfone de carbono de Thomas Edison.

6 – Caneta elétrica de estêncil

Marcações e desenhos na pele são coisas comuns na história das mais diversas sociedades humanas, nas mais variadas épocas da humanidade. Atualmente, isso é feito com máquinas modernas que riscam a pele de forma precisa e competente, mas talvez você não saiba que isso começou há 137 anos justamente com Thomas Edison.

O norte-americano desenvolveu uma caneta de perfuração que, a princípio, não foi feita para desenhar na pele humana. Isso foi pensado posteriormente, em 1891, por um inventor chamado Samuel O’Reilly, que fez algumas modificações à criação de Edison e adicionou um reservatório de tinta.

7 – Embalagem a vácuo

Em 1881, Edison patenteou um sistema de preservação de frutas com tecnologia a vácuo que consistia em embalar os produtos em uma jarra. Mais de um século depois, o sistema evoluiu bastante e a ideia básica ainda é aplicada nas embalagens a vácuo que você encontra em qualquer supermercado.

Alimentos como carnes, frutas, legumes, café e erva-mate são alguns dos itens comumente encontra embalados a vácuo. Isso garante alimentos livres de germes e bactérias e também assegura maior durabilidade ao sabor do produto.

8 – Gravador de voto eletrográfico

A nossa urna eletrônica e outros sistemas digitais de votação têm como antepassado comum o gravador de voto eletrográfico de Thomas Edison, patenteado em 1869, quando ele tinha apenas 22 anos. Essa invenção, que foi sua primeira patente, era conectada à mesa do escriturário, e o eleitor podia mover um tipo de metal para marcar uma das duas colunas (“sim” ou “não”) em cada candidato.

O sinal elétrico era enviado à mesa do escriturário e, em contato com as substâncias químicas, registrava o voto. Décadas e décadas depois, o sistema já foi analógico e agora é eletrônico, com métodos que em tese garantem a inviolabilidade do sistema e agilizam bastante a contagem dos votos.

9 – Rodas de borracha

A roda é provavelmente a mais revolucionária das invenções humanas, mas antes de Thomas Edison ninguém havia registrado a intenção de cobri-las de borracha. Em sua época, os veículos utilizavam rodas de madeira sem nenhum tipo de cobertura, o que, convenhamos, causava sérios riscos à segurança dos passageiros.

Edison então teve a ideia de revestir as rodas de madeira com borracha, dando o pontapé inicial em algo crucial para praticamente todo e qualquer veículo equipado com rodas nos dias de hoje.

 

Mais referências:

Para última curiosidade, recebi um encarte institucional da TRUST Iluminação, no qual cita que:

 

“O dia da iluminação foi criado através de um projeto de lei elaborado pelo Sr. Evandro de Souza Rego Filho como homenagem ao dia da invenção da lâmpada incandescente.”

* O Sr. Evandro de Souza Rego é presidente da TRUST Iluminação, sua empresa foi inaugurada em 1974, conforme site: http://catalogodearquitetura.com.br/trust-iluminacao-coml-eletro-trus-ltd.html e pode ser visitada na Rua da Consolação, 2180/86 em São Paulo, capital.

 

Deixo aqui algumas fontes e dicas de pesquisas sobre Edson, no qual me ajudaram neste breve post:

livro: “Universo elétrico, a impressionante história da eletricidade” de David Bodanis, Editora Record; este livro recomendo, não somente por falar de Edison, mas também por citar a fantástica e curiosa história da necessidade da criação do “telefone” por Graham Bell, ficaram curiosos? Então é só buscarem.

site: http://www.thomasedison.com/ , site oficial na web, contando diversas histórias e ricamente ilustrada com fotos de Thomas desde sua infância.

Série: “Light Fantastic”, excelente e excepcional documentário em 4 episódios com produção da BBC (2004), narrado pelo professor Simon Schaffer do departamento de História e Filosofia da Ciência na Universidade de Cambridge, numa profunda pesquisa desde os primórdios dos estudos de ótica e perspectiva dos povos gregos e árabes, passando por temáticas filosóficas e religiosas, até chegar ao mundo moderno que controla a luz; poderão assistir os 4 episódios legendados no youtube.

Documentários no youtube: 

Guerra das Correntes! Nikola Tesla x Thomas Edison!

A Guerra Elétrica – A Disputa entre Edison, Westinghouse e Tesla

Power: o poder por trás da energia

 

Encerro o post com mais uma de suas célebres frases:

 

“Se quiser ter uma boa ideia, tenha uma porção de ideias.”

Thomas Edison

 

Aproveito e o convido a conhecer o mais amplo canal da iluminação cênica no Brasil, acesse abaixo:

 

cartilha de iluminação cênica

 

 

LUZ SEMPRE!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *