Conceito de iluminação cênica – de Roberto Gil Camargo

Aos poucos o blog “Cartilha de iluminação cênica”

ganha novo espaço por aqui

 

Esse post vem do meu blog anterior, um dos mais antigos do país, que aos poucos vem ganhando o espaço por aqui.

Ddeixo uma dica de livro na iluminação cênica galera iluminada, com vídeo ao final.

O livro que comento hoje: “Conceito de iluminação cênica” de Roberto Gil Camargo.

iluminação cênica livro roberto gil camargo

clique na imagem para saber como adquirir

A abordagem quanto ao conceito da iluminação cênica é tratada de maneira sistemática, são abordagens de diversos estudiosos da iluminação, divididos nos tópicos:

  • luz natural e artificial
  • iluminação cênica
  • luz e espaço
  • luz e tempo
  • livros sobre iluminação cênica

 

Nos tópicos iniciais “Luz natural” e “Luz artificial”, narra um pouco da história da luz, bem como suas funcionalidades e utilizações; a forma da luz natural expressada artisticamente em obras de Di Cavalcanti e Portinari também estão entre suas abordagens; a luz artificial com sua utilização e conceitos através dos tempos. É a presença da luz estabelecendo interações no espaço em que ela incide.

Roberto escreve suas histórias e conceitos através de sua riquíssima narrativa, e nos faz repensar e examinar a luz em seu todo, e em tudo que a luz está presente; neste trabalho, destaco o tópico sobre “Iluminação cênica” que descreve os fundamentos essenciais sobre a questão da “co-evolução” da luz, ou seja:

  • a luz caminha junto com a cena, sendo construída de modo singular a cada espetáculo, com cada atuação de movimento do artista
  • mostra o quanto é importante fugir das “tendências” e pensar na luz como essência poética
  • aborda a dimensão da luz com relação ao artista e toda a expressividade que a luz compõem a cena.

 

Aqui descrevo um dos trechos:

A cena é feita de corpos, de elementos materiais que constituem a substância, a matéria-prima, a partir da qual se constroem formas. Esta substância é como argila, com a qual se molda, se dá forma e se produz um signo. (A cena em relação à luz, página 34)

Outros assuntos importantes estão nos capítulos “Luz e espaço”, no qual nos mostra estudos dentro da caixa cênica e todas a posições e argumentos de estudos do corpo em relação a este espaço; o outro é “Luz e tempo” no qual descreve Pavis que fala sobre o tempo cênico e tempo dramático, e neste mesmo capítulo nos dá um suporte sobre o procedimento sintático da iluminação sobre algumas obras que são discutidas no livro.

Para fechar o livro um capítulo no qual aborda diversos “Livros sobre iluminação cênica”, com abordagem sistemática, começando com o livro de McCandless, e seguindo com Rosenthal, Francis Reid, Richard Palmer, Linda Essig, entre outros estudiosos importantes que nos dão os suportes para pesquisas e ensino da iluminação atual.

 
 

É um livro que todo profissional de iluminação precisa ter em sua estante de luz.

cartilha de iluminação cênica

LUZ SEMPRE!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *