Iluminação cênica e o pré-cinema – os fantasmas nos divertem – parte 3/3

“Iluminação cênica e o pré-cinema” é uma trilogia especial para o Halloween que reescrevo de meu antigo blog.

Na trilogia comento sobre a importância da iluminação cênica e outras artes visuais responsáveis pelo cinema de terror que temos hoje em dia, divirta-se.

 

“OS FANTASMAS NOS DIVERTEM”

último post em homenagem ao Halloween 2016….

 Ainda continuo aqui, com Jack (de Tim Burton), e neste último post tentarei fazer um fechamento falando sobre o MEDO, esse instinto que todos temos, e que ao mesmo tempo que causa repulsa.

Devem ter notado, que a data me sugestionou a falar sobre isso nos posts anteriores e como o entretenimento pega carona no tema e faz acontecer em torno dele, através vários filmes de terror e suspense, espetáculos de teatro, minisséries, livros, e claro, parques temáticos com dedicação especial ao tema de terror; menciono também as histórias do cotidiano contada pelos nossos avós e parentes mais velhos, principalmente se viveram no interior e em fazendas.

Apenas colocarei minha visão como um espectador, não quero de maneira alguma abordar isso com algum conceito… mas o que me fascina nesse tema é a maneira com que trabalhamos o medo, mas aqui tentarei me remeter somente ao entretenimento, então abro falando uma frase dum artista que sou muito fã que é Lenine, ele diz na música: “Miedo”:

“O MEDO É COMO UM LAÇO, QUE SE APERTA EM NÓS”

Nessa frase, nos mostra de maneira muito inteligente o medo, ele brinca ambiguamente com o sentimento, ao mesmo tempo nos mostra de maneira poética remetendo a um tipo de confusão que pode nos acontecer quando o sentimento vem a tona, “.. se aperta em nós” no sentido de sentirmos atados realmente, sem saber o que fazer e perdido, e que ao mesmo tempo o “nós” pode significar nosso consciente, o nosso EU que se culpa, de algo que nos aconteceu, no prendeu como “laço” e interiormente nos sentimos com “nó” na garganta, “nó” no fundo da alma, pois, quem nunca deu um “nó” num laço e conseguiu desatá-lo com facilidade?

Como citei no post 2/3, Robertson aproveitou do clima da Revolução Francesa para criar o “Phantasmagorie”, mas hoje nos acontece o mesmo, mas com outros medos.

A violência é um desses medos modernos, acredito que por isso um filme com essa temática funcione tanto, recentemente foi lançado aqui no Brasil a segunda parte de um filme que trabalha muito bem isso, e mesmo sabendo que na tela se trata de uma ficção, é duro e nos causa medo, angústia e pavor imaginar que é realidade.

As imagens que nos séculos 18 e 19 assustavam, eram apenas ilusões, mas as imagens que temos hoje no mundo virtual (digo televisivo e cinematográfico) infelizmente são a mais pura realidade.

Nestes dias em que estive preparando os posts, fiquei imaginando como seria ver ao vivo um efeito como “Pepper’s Ghost”, ou mesmo as encenações de “Phantasmagorie”, numa sala escura, em que a luminosidade da projeção tinha falhas, com certeza deveria ser muito assustador, o clima todo, as ruas mal iluminadas até a ida ao local que aconteceria.

clique na imagem para ler

 

 

É pessoal, e deixo aqui um pensamento que costumo dividir com meus amigos: “Essa sensação de medo seria possível se houvesse uma claridade “chapada”?”

 

Deixo aqui na lateral um artigo especial que escrevi para a revista “Luz e Cena”, clique na imagem par baixá-la.

 

 

 

E como prometi, segue abaixo um pequeno documentário sobre o medo, com o efeito de “Pepper’s”, está em inglês, mas a linguagem mais interessante é a visual, percebam o medo da única menina que ve “o espírito” no quarto, antes de entrarem claro que são sugestionadas que há algo estranho,  e percebam também a intensidade de luz está na cena para a percepção fantasmagórica, a delicadeza com que tudo é executado para um efeito acontecer perfeitamente; e em seguida mostram numa maquete como produzir o efeito, já que foi o principal causador … rsrsrsr….. dos 3 posts… divirtam-se….

cartilha de iluminação cênica

Links de pesquisa sobre os assuntos:

http://www.galanteeshow.be/index1.htm

http://en.wikipedia.org/wiki/Phantasmagoria

https://cineimaginario.wordpress.com/2014/09/25/lanternas-magicas/ (neste link existem 12 páginas disponíveis com fotos, animações, história, livros e links, vale a pena)

OS BRINQUEDOS ÓTICOS E A LANTERNA MÁGICA

http://animacionartesvisuales.blogspot.com.br/?view=timeslide

 …  “Iluminação cênica e o pré-cinema” é uma trilogia sobre o período “Phantasmagorie” que faz parte de um pesquisa que possuo sobre a história da iluminação cênica vista pelos ângulos da antropologia, filosofia e psicologia com um aporte na história das artes em geral com o objetivo de demonstrar como a luz e a iluminação interferem em diversos campos dos acontecimentos em nosso mundo e cria a história conjuntamente com a sociedade …

LUZ SEMPRE!!!!

OBSERVAÇÃO: Para que não ocorram confusões futuras e caso algum artista mencionado nesta série especial sinta-se incomodado com o post, peço a gentileza de entrar em contato comigo através de meus canais digitais, grato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *